Criatividade e inovação no sistema escolar!

grupoQue o sistema escolar baseado na prática de um currículo tradicional está falido, todos já se deram conta, mas por que é que a pesquisa educacional ainda é tão distante da realidade da escola? As fundações do modelo educacional amplamente praticado nas escolas de hoje estão profundamente arraigadas às Teorias de Currículo tradicionais e tornaram-se praticamente imutáveis. Os estudantes ainda são vistos como receptáculos de informação, seres sem consciência crítica e sem direito à opinião própria; as aulas ainda são separadas em disciplinas dispostas em grades curriculares totalmente desprovidas de conexão entre conteúdos; os professores ainda vêem os “maus alunos” como criaturas que não sabem aproveitar o grande valor das lições que a escola pode lhe prover.

Fala-se em formação de professores e em salários mais coerentes, certamente este é um fator verdadeiro na realidade brasileira. Políticas públicas precisam olhar por programas de formação continuada e oferecer salários consistentes com o trabalho de um educador. Mas essa está longe de ser a única questão-problema em relação à educação. Muitas são as contradições. Em primeiro lugar, observei em minha curta experiência de vida um exemplo que me fez refletir com relação à cultura escolar. Ainda há escolas em que os educadores que buscam inovar em seu trabalho encontram incontáveis barreiras; que buscam, apesar das adversidades, colocar os estudantes e seus aprendizados no centro do processo, mas existem tipos de lideranças que simplesmente impõem barreiras para este tipo de educador.

Me fez refletir sobre a gestão… Os educadores podem e devem utilizar a ciência educacional para produzir transformações na escola, inclusive no ponto de vista da gestão. É aí que entram as pesquisas educacionais, elas são base para (re)pensar a prática. Deve ser levada em conta uma atuação administrativa específica para a realidade da escola pública, em termos de participação e também de inovação, sempre aliadas ao estudo do contexto escolar.

Criatividade e trabalho pedagógico devem caminhar juntos! Criar e inovar faz parte do processo educativo. A gestão deve estar aberta às novas ideias e contribuir para que o trabalho dentro do espaço escolar seja cada vez mais profissional, sério e voltado para o aprendizado do aluno. A disputa por espaços de poder deve ser deixada definitivamente de lado. Um professor não é dono de uma disciplina, assim como não é função do diretor fazer com que tudo aconteça do jeito dele. O conteúdo da disciplina é ciência para ser compartilhada, quanto mais compartilhada e conectada, melhor! Assim como as ações dentro de uma escola são produzidas por muitos educadores e vê-los inovar em seus trabalhos é algo riquíssimo e que deve ser estimulado. O difícil é instaurar uma cultura escolar verdadeiramente profissional e ética, com foco no aprimoramento pedagógico e substituir elementos como posse e comodismo por colaboração e pró-atividade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *