O que levo para 2012

Geralmente, no final do ano, fazemos uma lista de promessas para o ano seguinte com todas as coisas que deixamos de fazer no ano que passou. Bom, eu estou fazendo a minha, mas queria compartilhar também algumas coisas que aprendi em 2011 e que resultaram de situações que vivi no decorrer deste ano…  Esses aprendizados faço questão de carregar para 2012. Compartilho porque, mesmo que o aprendizado seja individual, alguma coisa sempre se aproveita das experiências alheias e pode ser que seja útil a alguém.

Mais difícil que adquirir novas técnicas e desenvolver novas habilidades é aprender a lidar com as pessoas. Observando e refletindo o cotidiano de trabalho percebemos que, muitas vezes, o que se tem para fazer não é tão complexo quanto o processo de decisão sobre o que fazer. Especialmente quando o processo de decisão envolve diferentes pessoas com diferentes ideias, percepções, valores, comportamentos, perfis. Não adianta tentar fugir dessa situação porque faz parte do trabalho. Independente da natureza do trabalho ou da empresa que te contratou. Essa situação provavelmente proporcionará as experiências profissionais e pessoais mais ricas, mas também mais desgastantes.

Pensando em algumas experiências que tive a oportunidade de vivenciar, compartilho aqui um pouquinho das aprendizagens que carrego comigo para 2012:

  • Saiba quem são seus amigos

Pode parecer óbvio, mas temos a tendência a confundir parceiros de trabalho com amigos pessoais. É importante saber entender quem se tornou amigo de fato, quem são os parceiros de trabalho e quem são aqueles que você deve apenas manter uma postura diplomática. Se você não fizer essa distinção pode se desapontar ou até se prejudicar porque confiou informações a quem não deveria. Manter a gentileza e o profissionalismo ajudam a construir um ambiente de trabalho mais harmônico, mas determinadas opiniões você deve compartilhar apenas com aqueles que considera seus amigos e, de preferência, longe do espaço de trabalho.

  • Busque relações mais verdadeiras

Não é porque você não é amigo pessoal de todos com os quais trabalha que suas relações são menos verdadeiras. Serão verdadeiras nas condições que você estabeleceu. Se percebe que um colega de trabalho pensa muito diferente de você, diverge nos valores e opiniões, provavelmente não desenvolverá uma relação além da profissional. Entretanto, você poderá manter uma posição diplomática e profissional para entrar em acordo nas questões de trabalho. Esse é um exercício difícil, pois terá que manter o foco na situação a se resolver e não no seu sentimento em relação à situação. Não é necessário, para isso, fingir uma amizade ou consideração que não existem. Seja verdadeiro nas suas relações mantendo sempre o respeito e a diplomacia, mas sem forçar um tipo de relação que não existe.

  • Escolha as batalhas que você quer lutar

Pedindo conselhos a uma amiga em relação a uma situação que eu estava vivendo, ela me disse várias coisas e entre elas estava a seguinte frase “Não tenho vergonha de mudar de ideia, porque não tenho vergonha de pensar.” (Pascal). Com esse conselho eu aprendi que não é vergonha mudar de ideia quando se refere a uma decisão que impacta diretamente na minha vida. Mesmo que eu deva me tornar mais resistente a determinadas circunstâncias – outro conselho que recebi -, percebi que a resistência é sempre pouca quando não queremos fazer parte de determinadas batalhas. Quais batalhas você tem força para lutar? Quais batalhas te desafiam? Naquele momento eu decidi mudar de ideia, porque não estava com força para lutar naquela batalha. Decidi que viveria outro desafio. O que não quer dizer que no futuro eu não possa escolher lutar em outras batalhas. Essa é a beleza de não ter medo de mudar de ideia.

Isso é um pouquinho daquilo que carrego comigo para 2012. E você, o que aprendeu em 2011 que contribuiu para quem você será em 2012?

Excelente início de ano a todos!

 

3 comentários sobre “O que levo para 2012”

  1. Que legal o post! Só acho que a imagem tá meio suicidal tendencies hehe =P
    É verdade, precisamos ter mais coragem na hora de tomar algumas decisões.

    Beijão!

  2. Oi Grayce, gostei do texto, ficou muito bem escrito. Apesar de parecer óbvio, você descreve alguns pontos básicos que nem sempre colocamos em prática no dia-a-dia. :)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *