Objetos de aprendizagem: conceito e estrutura – Parte 1

Pensando nos comentários que o Everton, leitor do blog, deixou tempos atrás por aqui, procurei elaborar neste post algumas dicas para quem está dando seus primeiros passos no campo da educação à distância. A intenção é dar enfoque à produção dos objetos de aprendizagem (OAs) e auxiliar aqueles que não possuem grande experiência como Designer Instrucional (DI) e que gostariam de aprender praticando.

Os objetos de aprendizagem fazem parte do grupo de recursos mais utilizados na educação à distância atualmente. Eles são um importante instrumento de ensino-aprendizagem e podem ser utilizados de diferentes formas, desde que alinhados à proposta educacional (ou projeto instrucional – PI) delineada para o curso ao qual você vai trabalhar.

O que são objetos de aprendizagem?

Um objeto de aprendizagem é, basicamente, uma unidade de conteúdo organizado e auto-contido, publicado na forma de uma mídia digital. Isso significa que o conteúdo abordado nessa unidade apresenta uma estrutura com começo, meio e fim, além de um esquema de avaliação. Outro atributo dos OAs é que sejam reutilizáveis e, por isso mesmo, devem fazer sentido por si só. O OA pode ser parte de um contexto maior, como um curso ou disciplina, ou ser uma mídia independente apresentando todo o conteúdo em um único objeto.

Imagem de Franco Andrade

Objeto de aprendizagem produzido em flash. Imagem cedida por Franco Andrade.

Os OAs possuem dois aspectos principais: metodológico e técnico. Metodológico, porque é apoiado no design instrucional daquele curso, com estratégias didáticas e esquemas de avaliação; técnico, porque é produzido para ser uma mídia digital, utilizando ferramentas de autoria. Para cursos em EaD, deve ser compatível com o LMS (ou Ambiente Virtual de Aprendizagem), ou seja, deve “conversar” com a plataforma onde o curso estará alocado. O formato mais comum de publicação dos OAs é conhecido como padrão SCORM. Não vou me aprofundar nesse momento em explicações sobre o SCORM, mas certamente ouvirá bastante o termo trabalhando com EaD, pois é o padrão utilizado pela maior parte dos LMS. Esse padrão permite que o LMS registre, por exemplo, a pontuação do aluno em algum teste realizado por ele no OA.

Ferramentas de autoria

Algumas das ferramentas de autoria mais comuns de construção dos OAs são: Flash, Captivate (ambos da Adobe) e outras com base no PowerPoint, como o Articulate. Os cursos produzidos em programas como o Articulate são conhecidos como Rapid e-Learning. Convém ressaltar que o significado de Rapid e-Learning se refere, basicamente, a cursos produzidos em programas de autoria que não requerem conhecimentos em programação. Essa forma de produção torna o processo menos custoso e mais rápido, por isso se chama Rapid e-Learning.
Ferramentas de autoria EAD

Pretendo, com este post, fornecer fundamentação para que você mesmo construa um objeto de aprendizagem utilizando o PowerPoint, pois todos nós temos algum conhecimento no programa e condições de utilizá-lo para desenvolver um trabalho criativo.

Comece pesquisando…

O início do seu trabalho deve ser a pesquisa. Procure conhecer mais sobre os programas citados aqui e tire suas próprias conclusões. Se você tem uma boa base de inglês, vai aproveitar as dicas do blog do Tom Kuhlmann, um dos fundados da empresa produtora do Articulate. Mesmo que utilize outros programas, há muitas dicas no blog dele e certamente será uma fonte muito proveitosa!

Continua…

Obs.: dividi o post em duas partes, para não ficar muito grande. A segunda parte pode ser encontrada aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *